sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Encontro de Taizé no Porto, por Liliana Almeida

Isabel 401

O que posso eu dizer depois de uma experiência de fé vivida de forma tão profunda e simples durante 4 dias? O Espírito de Taizé consegue sempre fazer em nós um momento de reflexão, de silêncio, de paz…de relação profunda com Deus. Todos os aspectos são importantes para esta vivência quando se falam nos Encontros Europeus ou Ibéricos, que é o caso, que a Comunidade de Taizé proporciona nos diferentes países. A experiência de seremos acolhidos é única e insubstituível…e agora podemos falar do acolhimento do povo português na 1ª pessoa…que é magnífico! Todo o grupo de 56 jovens das paróquias de São João da Talha e Bobadela falavam das “suas famílias” com uma alegria e carinho enorme. As fontes da Alegria que de fala a Carta da China de Taizé e que foi tema deste encontro não as poderíamos ter encontrado dentro de nós de forma melhor…

Para mim não foi uma actividade completamente nova, porque já vivi em outros momentos a vivência do acolhimento, o espírito de Taizé na própria Comunidade na Aldeia de Taizé (Sul de França) mas é sempre surpreendente ver e sentir uma oração comunitária com 3500 jovens no mesmo espaço, onde só há cânticos ou silêncio… É como nos diz o Irmão Alois na meditação de 14 de Fevereiro de 2010 na oração da noite: “Pelo Espírito Santo, Deus habita nos nossos corações e é lá que nos fala, sugerindo-nos ideias, projectos e questões. Habitados por Ele, não podemos deixar de nos interrogar: O que poderá dar uma orientação à minha vida? Que objectivos vale a pena eleger? Fazer a triagem dos nossos desejos, aceitar não fazer tudo e não ter tudo, abre-nos aos outros, protege-nos do isolamento e leva-nos a partilhar o que temos.” E assim é possível tirarmos um pouco de tempo para nós e para Deus e definirmos caminhos, encontrarmos respostas para as nossas inquietações e respondermos mais fielmente ao projecto que Deus tem para nós. Passar o dia dos namorados em oração, o dia de Carnaval em oração…serve para nos sentirmos diferentes dos outros jovens, serve para nos sentirmos cada vez mais cristãos (que fazem a diferença!), pois a atitude de sair da rotina, experimentar algo novo e crescermos na fé junto dos nossos amigos é uma Fonte de alegria inesgotável.

A Carta da China escrita este ano 2010 pelo irmão Alois fala-nos ainda da importância de fazer a escolha dos nossos desejos, diz-nos a certa altura que : “ Decidir quais são as aspirações que queremos pôr em primeiro lugar, prestar atenção àquilo que se encontra no mais profundo de nós próprios, já é uma forma de nos pormos à escuta de Deus.”

Liliana Almeida


4 comentários:

a23637 disse...

Oh Liliana!
Que linda partilha!
Muito obrigado mesmo! Vão voas todos os Boletins desta semana só por esta partilha maravilhosa.
Todos queremos ler mais partilhas tuas assim :)
Muito obrigado :)

Marina disse...

Fomos à fonte beber:)
Taizé-Porto transbordou e encheu quem lá esteve de muita tranquilidade e paz... No silêncio da oração e na partilha com a família encontrei as Fontes da Alegria!

Anónimo disse...

E a maior prova de FÉ foi o testemunho dado pelo jovem Haitiano que apesar de todas as dificuldades vividas no haiti, a sua FÉ não foi abalada... Ele Encontrou nos cânticos de Taizé a força necessária para seguir em frente! Foi o ponto mais alto do encontro sem dúvida alguma...

Ana Clarinha via Facebook

Anónimo disse...

Para Richar a sua FONTE DE ALEGRIA foi encontrada. É um verdadeiro exemplo a seguir!

Ana Clarinha via Facebook

Enviar um comentário

Related Posts with Thumbnails